sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

É você pobre, remediado ou rico?

Se quer entreter-se ou melhorar a sua auto-consciência sobre esta sua localização relativa ao mundo em que vive, pegue num pedaço de papel e faça este simples exercício de uma conta de somar.

Ganha actualmente menos de 600 Euros líquidos mensais em salário ou pensões? Marque 0. Se é superior mas não atinge os 4 mil Euros, marque 1. Se ganha mais do que isso, marque 2.

Se é proprietário de casas arrendadas, some mais 1. Se além disso também recebe rendas de terras agrícolas, pastagens ou pinhais, acrescente 2.

Se nos três últimos anos teve um ganho extraordinário proveniente de negócio, herança, ou lotaria superior a 3 mil Euros, adicione 1. Mas se valeu mais de 30 mil Euros, marque 2.

Se tem capitais empatados em empresas industriais ou comerciais, agrícolas ou piscatórias, some mais 1.

Se possui mais do que um automóvel, some 1. Mas se é dono de algum barco ou avião, acrescente 2.

Se possui bens ou propriedades fora do país, some mais 1.

Se você é mecenas de uma qualquer causa (e porque beneficia de desconto), marque 1.

Tem dinheiro amealhado em bancos superior a 10 mil Euros mas que não atinja os 100 mil? Marque 1. Se é superior a isso, marque 2. Se tem dinheiro em paraísos fiscais, marque 3.

Se no ano passado realizou lucros ilegítimos ou não declarados, some mais 1.

Se é sócio ou activista de qualquer associação cívica, cultural, recreativa ou desportiva, marque 0.

Se tem algum familiar ou amigo no governo, acrescente 1.

Se no ano anterior passou férias no estrangeiro, marque 1.

Finalmente: já foi alguma vez condenado em tribunal? Se sim, teve azar, mas some mais 1.

Faça agora a adição de todos estes pontos. Se ficou em 0 ou 1, pode considerar-se pobre (e tem de lutar para sair dessa posição). Se a sua pontuação ficou entre os 2 e os 5, dê-se por satisfeito pois está na “classe média”, daqueles que antigamente se designavam por “remediados”. Mas se atinge os 5 ou mais pontos, então parabéns, porque pertence ao mundo dos ricos. Mas seja prudente, não se meta com vigaristas. E olhe o Fisco! Ou cuide da sua alma, por causa do Juízo Final.


JF / 10.Fev.2017

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo do blogue