sábado, 5 de dezembro de 2009

1º de Dezembro: tantas datas

O 1º de Dezembro deste ano de 2009 foi referência para vários acontecimentos, passados e actuais. Os (neo-)nacionalistas e patriotas lembram-se dos espanhóis de 1640 e temem a sua superiorização económica presente. A vaga liga de estados latino-americanos lá se desembrulhou em Lisboa dos sarilhos políticos do momento. E a Europa oficial veio também celebrar o seu re-arranjo institucional para os próximos vinte anos junto à torre de Belém.
Enquanto isto, Dezembro abriu com organismos internacionais a anunciarem para Portugal a superação dos 10% na taxa de desemprego e uma recomendação de forte contenção na despesa pública, ao mesmo tempo que nos noticiam quase diariamente encerramentos de empresas industriais, todos se viram para pedir ajuda ao governo e no parlamento se ensaiam as esperadas manobras de chicana partidária.
Finalmente, também Obama se decidiu pelo envio de mais 30 mil para o Afeganistão, esperando que os europeus correspondam com os restantes pedidos pelos chefes militares para “estabilizar a situação”, e se vai esgotando o prazo concedido ao Irão para mostrar “boa vontade”.
De novo com receios de que outra “bolha” rebente nos mercados financeiros, em alta talvez exagerada nos últimos seis meses, o final deste ano apresenta-se, pois, mais carregado de ameaças e incertezas do que assente numa modesta mas confiante recuperação da queda económica (produtiva e comercial) ocorrida em 2008/2009. Veremos o que nos acrescenta a cimeira de Copenhague sobre as alterações climáticas.
JF / 4.Dez.2009

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo do blogue